X

PACIENTES

Prezado cliente, para retirada dos Resultados de Exames, favor acessar a aba "ÁREA DE PACIENTES", ou clique aqui.

Atendimento ao Cliente:

Menu de Exames

ACETILCOLINESTERASE ERITROCITÁRIA

A A

O Laboratório Alvaro oferece mais de 1400 tipos de exames de prevenção e tratamento. Consulte abaixo todas as informações e orientações para cada tipo.

  • Código: ACOLI
  • Material: sangue total EDTA
  • Sinônimo: ACETILCOLINESTERASE ERITROCITÁRIA
  • Volume: 5,0 mL
  • Método: Colorimetrico c/ acetilcolina após hemolise em meio hipotonico
  • Volume Lab.: 5,0 mL
  • Rotina: 3ª feira
  • Resultado: 48 h
  • Temperatura: Refrigerado
  • Coleta: Jejum não necessário. Coletar amostra no tubo com EDTA; Refrigerar amostra imediatamente após a coleta; Encaminhar amostra sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC.
  • Código SUS:
  • Código CBHPM: 4.03.01.04-4

Interpretação

  • É uma enzima que age na regulação dos impulsos nervosos, através da degradação de acetilcolina na junção neuromuscular e na sinapse nervosa. Existem duas categorias de colinesterases: a acetilcolinesterase (colinesterase verdadeira ou tipo I ), encontrada nos eritrócitos, no pulmão, baço e substância cinzenta do SNC sendo responsável pela hidrólise da acetilcolina, e a pseudocolinesterase ou colinesterase II, sintetizada no fígado, e encontrada no pâncreas, coração, substância branca do SNC. É irreversivelmente inibida pelos organofosforados e reversivelmente inibida pelos carbamatos. Embora a dosagem sérica (da pseudocolinesterase ou colinesterase sérica) seja mais útil no diagnóstico de intoxicações agudas por estes compostos, a colinesterase intraeritrocitária é mais sensível a processos crônicos. Indicação: Diagnóstico e monitoramento de exposição e intoxicação por compostos organofosforados e carbamatos (utilizados em agricultura comercial); triagem pré-operatória de pacientes com sensibilidade a succinilcolina (genética ou secundária à exposição de inseticidas); estudos familiares de anomalias moleculares das colinesterases. Interpretação clínica: A colinesterase eritrocitária e sérica estarão diminuídas nas intoxicações por organofosforados. Outras causas de valores baixos: hemoglobinúria paroxística noturna, em alguns casos de anemias megaloblásticas. Valores aumentados: estados hemolíticos como talassemias, esferocitose, anemia falciforme ativa, outras hemoglobinopatias e anemias hemolíticas adquiridas. Algumas pessoas podem ter uma variação genética desta enzima, cuja importância clinica ocorre quando eles se submeterem à anestesia com utilização da succinilcolina, pois a eliminação deste medicamento será de forma mais lenta, podendo cursar com um quadro de apnéia prolongada. Sugestão de leitura complementar: Cerf C et al. Screening patients with prolonged neuromuscularblockade after succinylcholine and mivacurium. Anesth Analg 2002; 94: 461-6 Oliveira Silva JJ et al. Influência de fatores socioeconômicos na contaminação por agrotóxicos. Rev. Saúde Pub 2001; 35 (2): 130-5

Referência

  • AChE* : 2,77 a 5,57 U/mL
  • * AChE = Acetilcolinesterase Eritrocitária
  • Metodologia desenvolvida e validada pelo
  • Alvaro Centro de Análises e Pesquisas Clínicas.