O Laboratório Alvaro está de cara nova!

Deseja tornar este perfil sua página inicial quando acessá-lo novamente?

X

Atendimento ao Cliente:

Notícias

Maes obesas filhos obesos

A A

Mães obesas, filhos obesos

Fabiano Sandrini, endocrinologista e responsável médico do Laboratório Alvaro, comenta novo estudo que aponta hereditariedade da obesidade

 

A prevenção do excesso de peso em mulheres em idade fértil pode ajudar a reduzir a obesidade infantil e a incidência de diabetes. Um estudo publicado em junho deste ano pela Associação Americana de Diabetes mostra que, ainda no útero, as células de filhos de mães obesas podem ser programadas para acumular gordura extra ou desenvolver disfunções no metabolismo que podem levar à resistência à insulina, aumentando o risco de diabetes do tipo 2.

Fabiano Sandrini, responsável médico e endocrinologista do Laboratório Alvaro, faz um alerta às mães. “É fundamental manter a saúde e controlar o excesso de peso, especialmente durante a gestão, pois isso pode evitar consequências graves aos filhos”.

A pesquisa foi feita a partir de células-tronco de cordões umbilicais extraídas de bebês de mães obesas e com peso normal. Os pesquisadores perceberam que as células dos filhos de mães obesas que foram cultivadas em laboratório tinham 30% a mais de gordura. A pesquisa é preliminar, e ainda não se sabe se essa diferença nas células corresponde à fisiologia destas crianças após o nascimento. “Mesmo assim, essa é uma questão que exige atenção. Estudos anteriores já deixam claro que filhos de pais obesos são mais propensos à obesidade”, declara o especialista. O próximo passo da pesquisa deverá seguir esses filhos para ver se há mudanças na vida adulta.

Sandrini lembra que a obesidade está tomando proporções alarmantes em todo o mundo. “Metade da população brasileira sofre ou já sofreu com sobrepeso. Esse número é preocupante. É preciso que as pessoas se conscientizem do mal que a obesidade pode acarretar para si mesmas e para os outros. Pais obesos têm mais chances de gerar filhos obesos”, ressalta o responsável médico do Laboratório Alvaro.