O Laboratório Alvaro está de cara nova!

Deseja tornar este perfil sua página inicial quando acessá-lo novamente?

X

Atendimento ao Cliente:

  • Cascavel: (45) 3220 - 8000
  • Foz do Iguaçu: (45) 3574 - 1010

Dicas de SaúdeGripe Suína

O que é a gripe suína?

A gripe suína é uma doença infecciosa respiratória aguda, causada pelo vírus Influenza, do tipo A. Esse vírus possui variantes que acometem não somente os suínos, mas as aves (gripe aviária) e mesmo os seres humanos, causando o conhecido "quadro de gripe". Os vírus que acometem os animais podem também ser transmitidos ao homem, causando quadro clínico semelhante. Habitualmente estes quadros são sem gravidade. Da mesma forma, o vírus que infecta humanos pode infectar os animais.

O que está ocorrendo no México e em outros países?

No México, em decorrência de um surto de gripe em suínos, algumas pessoas foram infectadas com o Influenza suíno e desenvolveram quadros respiratórios infecciosos. O que chama a atenção é que a doença tem se apresentado, em poucos casos, com sinais e sintomas mais severos que o habitual, levando algumas dessas pessoas ao óbito. Os pacientes acometidos são em sua maioria pessoas jovens, faixa etária que não costuma adquirir esse tipo de infecção. Preocupa ainda o fato de que pessoas que não tiveram contato com suínos infectados contraíram a doença, sugerindo, assim, a capacidade de transmissão de pessoa para pessoa, o que também não é frequente no caso de gripe suína.

Por que a preocupação dos órgãos de saúde?

Como trata-se de uma doença respiratória, altamente contagiosa, e com suspeita de transmissão de pessoa a pessoa, a disseminação dessa nova variante do Influenza pode assumir proporções graves para a população, não somente do México, mas em todo o mundo.

Por que a gripe suína está acometendo as pessoas dessa forma?

Existem algumas variantes pertencentes aos subtipos do vírus Influenza que possuem alterações genéticas, capazes de atribuir características diferentes da infecção habitual. Estas alterações podem acarretar mudanças no padrão de transmissão do vírus, na forma clínica de apresentação da doença e até mesmo na resposta ao tratamento.

Quais os sinais e sintomas dessa gripe em humanos?

O quadro clínico pode variar desde a ausência de sintomas até a quadros mais severos. Normalmente os sintomas tem sido de uma gripe mais forte, que se apresenta de maneira repentina, com febre alta (superior a 39ºC), dor de cabeça intensa, dores musculares e de articulações, tosse, irritação nos olhos e fluxo nasal. Para evitar o contágio, é recomendado usar máscara, não cumprimentar com a mão, nem com beijo, e evitar as aglomerações de pessoas.

É seguro comer porco e produtos de carne suína?

Sim, o vírus da gripe suína não resiste à cocção em temperaturas superiores a 70ºC, como se recomenda para a preparação de carne de porco e outras carnes para alimentação humana. Nestas condições, não há registro de transmissão da gripe suína por ingestão de alimentos.

Quais medidas já foram tomadas?

A Organização Mundial de Saúde em cooperação com o Centro de Controle de Doenças dos EUA e diversos outros órgãos internacionais emitiram um alerta geral a todos os países informando a necessidade de medidas preventivas para o controle de disseminação da doença. No mundo atual, com grandes centros urbanos e maior número de migrações entre países e continentes, uma doença contagiosa de fácil transmissão (respiratória) pode se disseminar rapidamente, assumindo grandes proporções, o que é chamado de Pandemia.

No Brasil, iniciou-se um Plano de Contingência e Controle da Doença, coordenado pelo Ministério da Saúde, sobretudo nos Portos e Aeroportos nacionais, com o objetivo de realizar uma vigilância da doença através da detecção precoce de possíveis casos. Essas ações serão intensificadas nos vôos provenientes do México, mas como há casos relatados também em outros países, a vigilância é praticamente geral.

Todas as Secretarias Estaduais de Saúde do Brasil também foram acionadas para intensificar o processo de monitoramento e detecção de casos suspeitos de doenças respiratórias agudas, a partir da Rede de Vigilância de Influenza e de Laboratórios.

Quais as Recomendações aos viajantes que se destinam às áreas afetadas no México e nos EUA?

  • Evitar locais com aglomeração de pessoas;
  • Evitar o contato direto com pessoas doentes;
  • Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal;
  • Evitar tocar olhos, nariz ou boca;
  • Cobrir o nariz e a boca com um lenço quando tossir ou espirrar;
  • Lavar as mãos frequentemente com sabão e água, especialmente depois de tossir ou espirrar;
  • Em caso de sintomas, procurar assistência médica e informar história de contato com doentes e viagens;
  • Não usar medicamentos sem orientação médica.

Quais as Recomendações aos viajantes que procedem das áreas afetadas no México e nos EUA?

Viajantes procedentes, nos últimos 10 dias, do México ou das áreas afetadas dos Estados Unidos e que apresentem os sinais e sintomas da gripe suína devem:

  • Procurar assistência médica na unidade de saúde mais próxima;
  • Informar ao profissional de saúde o seu roteiro de viagem.

Existe uma vacina para a gripe suína?

A Organização Mundial de Saúde está trabalhando neste sentido, mas ainda não se dispõe de uma vacina específica para este surto, pois é necessário que esta vacina contenha informações das variantes suínas do vírus Influenza, responsáveis pelas infecções atuais. As vacinas de Influenza disponíveis para a gripe em idosos e crianças provavelmente não conferirá proteção contra a gripe suína, não sendo indicadas portanto como medida de proteção ou prevenção.

Como o paciente deve ser tratado?

As informações ainda são insuficientes para fazer recomendações sobre a utilização dos antivirais na prevenção e tratamento da infecção pelo vírus da influenza suína. Os médicos devem tomar decisões baseadas na clínica e avaliação epidemiológica e nos danos e benefícios da profilaxia / tratamento do paciente. Para o atual surto de infecção por gripe suína nos Estados Unidos e México, as autoridades locais estão recomendando a utilização do oseltamivir e zanamivir.

Mantenha-se informado:

Organização Mundial de Saúde (em inglês)
http://www.who.int/csr/disease/swineflu/en/index.html

Centro de Controle de Doenças (em inglês)
http://www.cdc.gov/flu/swine/

Ministério da Saúde do Brasil
www.saude.gov.br

Ministério da Agricultura do Brasil
www.agricultura.gov.br

Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS)
www.saude.gov.br/svs

Plano de Preparação para o Enfrentamento da Pandemia de Influenza
http://portal.saude.gov.br/portal/saude/Gestor/visualizar_texto.cfm?idtxt=27999

Agência Nacional de Vigilância Sanitária
www.anvisa.gov.br/viajante