Atendimento ao Cliente:

  • Cascavel: (45) 3220 - 8000
  • Foz do Iguaçu: (45) 3574 - 1010

Notícias

Cuidados com a alimentação das crianças nas férias de inverno

A A

O alerta é de Mauro Scharf, endocrinologista e diretor médico do Laboratório Alvaro 

As orientações são de Fabiano Sandrini, endocrinologista e responsável médico do Laboratório Alvaro 

 

No Dia Mundial do Coração, celebrado em 25 de setembro, as atenções se voltam para um dos maiores problemas de saúde do Brasil. Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia apontou que 31% das mortes causadas por doenças não transmissíveis estão relacionadas a problemas cardiovasculares, ultrapassando as mortes por câncer (16%), doenças respiratórias crônicas (5,8%) e diabetes (5%). E a ligação entre a alimentação e as doenças do coração é enorme. É o alerta de Fabiano Sandrini, responsável médico e endocrinologista do Laboratório Alvaro.

De acordo com o especialista, esta vinculação está diretamente relacionada ao peso, já que a obesidade é um grande fator de risco para doenças do coração. .Além disso, as doenças do coração estão ligadas à comida rica em gordura, que piora o colesterol, e o consumo de muito sal, que aumenta o risco de hipertensão arterial e, consequentemente, de problemas cardíacos., afirma.

Sandrini explica que, quando uma pessoa tem uma propensão a uma doença cardíaca, a alimentação adequada, associada a outros cuidados, poderá atrasar o início desta doença ou sua progressão para estágios mais graves. .A alimentação correta, junto com a atividade física, é um grande interferente que pode atrasar, evitar a evolução ou até mesmo impedir o surgimento de algumas doenças do coração., revela.

O responsável médico lista que os alimentos considerados benéficos para o coração são os ricos em fibras e em Ômega 3. .Desta forma, deve-se exagerar em saladas e introduzir os peixes nas refeições., ressalta. Quanto ao cálice de vinho tinto seco, Sandrini revela que é benéfico para os cardíacos, mas com algumas ressalvas. .O seu benefício está limitado a uma dose diária. Acima disto, passa a ser maléfico ao coração. Ainda, este benefício não é tão importante a ponto de recomendarmos alguém que não bebe a iniciar o uso de bebida alcoólica., explica.

Quanto aos alimentos que fazem mal ao coração, o médico elenca os ricos em gorduras e sal. O ideal, segundo Sandrini, é reduzir as carnes ricas em gorduras, reduzir as frituras e diminuir bastante o consumo de óleo de cozinha e o sal. O médico reforça que os cuidados com a alimentação, no que tange o coração, devem ser tomados também por crianças por dois motivos: ensinar bons hábitos e porque as crianças já podem apresentar riscos de colesterol elevado e hipertensão arterial, dentre outras doenças correlacionadas.

O médico lembra que a ligação entre o coração e a alimentação é uma tônica constante de análises médicas e que sempre surgem novas descobertas relevantes na área. .Novas pesquisas mostram, por exemplo, que o café pode ser um vilão do coração, se ingeridas mais de cinco doses da bebida por dia. Outra pesquisa mostra que o consumo maior de frutas está diretamente relacionado à proteção do coração., exemplifica.

Por fim, Sandrini reforça as orientações gerais sobre alimentação: alimentação rica em frutas e verduras, refeições em horários regulares, reduzir o sal e o açúcar, evitar as comidas gorduras e introduzir peixes na refeição. Ainda, evitar bebidas alcoólicas, não fumar e praticar exercício regularmente. .Estas são as dicas para promover e evitar doenças, inclusive aquelas que afetam ao coração., finaliza o especialista.