O Laboratório Alvaro está de cara nova!

Deseja tornar este perfil sua página inicial quando acessá-lo novamente?

X

Atendimento ao Cliente:

  • Cascavel: (45) 3220 - 8000
  • Foz do Iguaçu: (45) 3574 - 1010

Notícias

Upgrade nos exames

A A

Com a automatização dos processos, os diagnósticos são cada vez mais rápidos e completos

Termo muito usado nas consultas médicas, as análises clínicas são o estudo do material biológico do paciente (como urina, sangue e fezes), que busca detectar doenças e disfunções no organismo. Há muitos anos, quando o processo era feito inteiramente de forma manual, alguns problemas eram comuns, como contaminações, uso de recipientes impróprios, incidência de erros no preenchimento dos tubos e na manipulação dos insumos.

Atualmente, o contato humano com o material coletado é praticamente nulo, o que torna os resultados ainda mais confiáveis, precisos e seguros. O novo sistema automatizado é formado por duas esteiras, que totalizam 82 metros de comprimento, conectadas a mais de 20 equipamentos.

Nossos laboratórios possuem o mais moderno parque tecnológico da América Latina, equipado com máquinas importadas da Itália e Suíça com capacidade produtiva extra para exames nas áreas de imunologia, bioquímica, sorologia, hematologia e testes hormonais.

Com o uso da tecnologia, o tempo de entrega dos resultados diminuiu em 40% se comparado ao procedimento manual. Sem o uso da esteira, um exame de HIV, que fica pronto em dois dias úteis, teria seu resultado em sete; já o teste de HGH (hormônio do crescimento), hoje com tempo estipulado de um dia útil – podendo ser reduzido a algumas horas em casos mais urgentes –, sairia só após 10 dias úteis. Além disso, a esteira otimiza a utilização do material biológico. Na prática, isso significa menos sangue ou urina coletados para a realização de mais diagnósticos.

COMO FUNCIONA

  1. O primeiro passo é a coleta feita pelo profissional especializado. Em seguida, o material é etiquetado com código de barras que garante a individualização da amostra e determina o teste que deve ser feito em cada recipiente.
  2. A etapa seguinte é encaminha-lo ao sistema que direciona cada amostra aos aparelhos competentes à realização de cada análise.
  3. Os tubos são levados aos aparelhos por um sistema automático de esteiras.
  4. No fim do processo, o resultado do teste é avaliado por um médico do corpo clínico e é automaticamente transferido para o prontuário do paciente.